Sobre o futuro de Porto Alegre e os sonhos dos especuladores – Por Najar Tubino

Fonte: Najar Tubino – Facebook

captura-de-tela-2016-11-06-as-19-58-45

Foto: Lucimar F Siqueira

Nada como dar uma olhada nas páginas de economia. Fui achar uma matéria do Jornal do Comércio de 11 de novembro de 2015 sobre a tomada no controla da EVEN, que agora se chama MelnickEven, cujo fundador Carlos Terepins tomou o devido golpe capitalista por não ser o acionista controlador. Desde então um fundo, formado por 14 cotistas, chamado FUNDO MELPAR, controla a empresa, que pretende construir mais um shopping center entre a área das docas no Cais do Porto, ou agora Caia Mauá, e a Usina do Gasômetro.

O Fundo Melpar, que é um fundo de investimentos com prazo para mostrar resultados aos cotistas em seis anos, é formado por famílias ´gaúchas conhecidas no mercado: Zaffari, Seibel – proprietária da rede Leroy Merlin, Hermes Gazzolla, ex-proprietário da Puras, e Alexandre Grendene, das famosas sandálias de verão – até recentemente dono da Agropecuária Jacarezinho em Valparaíso (SP) , vendida para o dono do MARFRIG, Marcos Molina.

Enfim, como dia o patriarca Abram Goldsztein, da construtora do mesmo nome, que é associada com a paulista Cyrela:

“- Porto Alegre é o porto, o solo, a terra da Godsztein. A incorporadora considera esta comunidade como sua. Por estar a quase 30 anos ajudando a construi-la, escrevendo junto a sua história, sente-se habilitada para dimensionar o que ela quer e sonha. E é isto que a Goldsztein vai continuar fazendo: traduzindo os sonhos de Porto Alegre e celebrando-os junto com a comunidade”.

A situação de Porto Alegre é horrível, porque não existe perspectiva de mudança nesse rumo. A população da cidade parece que abandonou a discussão sobre o futuro da cidade. A Justiça não questiona, nem interfere em nada. Os políticos são financiados pelos construtores. O atual prefeito, José Fortunati, que foi eleito com a maior votação da história, e já foi líder sindical, se despede da administração pública entregando elefantes brancos que detonarão a paisagem e o ambiente da cidade. Sem contar que detonarão a zona rural. A tradição dos porto-alegrenses de participação e na gestão democrática da cidade se esvaiu, virou pó nos últimos anos.

Em 2001, o mundo inteiro estava presente nessa cidade na criação do Fórum Social Mundial. Agora temos o MBL participando do consórcio que ganhou as eleições.

Najar Tubino é jornalista.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s